• Engenhotur

Roteiro delicioso pela Suíça

Viagem para a Suíça (Parte 1)

Nossa viagem à Suíça, começou da necessidade de passarmos pela Europa para poder entrar na Turquia, uma viagem programada há anos, que a pandemia retardou.


ZURICH

Acabamos passando por várias cidades e começarei por Zurich, que era por onde nosso avião chegava.

Zurique é o coração do capitalismo, uma mescla das finanças globais, mas também uma cidade cheia de cultura. Calma e silenciosa, foi duas vezes eleita a cidade com melhor qualidade de vida do mundo e os salários são os mais altos da Europa. E mostra isso quando você a visita.












Mas damos algumas dicas que serão muito úteis. Os primeiros minutos na Suíça podem ser difíceis, os preços altíssimos são assustadores, mas não se preocupe porque é possível visitar a cidade sem gastar uma fortuna e curti-la como mais um habitante seguindo estas dicas.








A opção mais econômica e ecológica é usar a bicicleta. Os suíços adoram bicicletas, você verá que existem de todos os tipos e designs, porém nós fizemos praticamente tudo a pé. Apesar de não falarmos alemão, o inglês é falado -por todo mundo.

Outra opção é usar os trams, pequenos trens que circulam por toda a cidade. Alguns Hotéis dão uma espécie de cartão que te isenta de pagar os trams, como um incentivo ao turismo, o que se repetiu na maiora das cidades que ficamos.

Em Zurich ficamos no Hotel Florhof (@hotelflorhof), recomendo muito, pequeno mas muito bem localizado, um atendimento primoroso. Acabamos ficando 3 vezes na mesma viagem, uma quando chegamos, outra quando após a quarentena íamos para a Turquia e tínhamos que em função de voos, dormir uma noite em Zurich e outra na volta para pegar o voo da volta ao Brasil. Jante um dia lá, o cardápio é enxuto mas delicioso.





O que fizemos nos poucos dias que ficamos:


Igreja Grossmünster

Reza a lenda que no século III os santos padroeiros Félix, Regula e Exuperancio foram perseguidos por defenderem a sua fé católica, foram apanhados e obrigados a beber chumbo. Eles foram decapitados e enterrados nas proximidades de Grossmünster.

As torres da igreja pegaram fogo, mas foram reconstruídas em estilo gótico, tornando-se um ícone da cidade. Através de seus 184 degraus você terá uma fascinante vista panorâmica da majestosa cidade.

Capela Fraumünster na Cidade Velha


Ela é conhecida pelo design de cinco vitrais deslumbrantes e coloridos de Marc Chagall. O artista expressou que “se for criado com o coração, quase tudo funciona”.








Nessa rua estão as principais lojas de grife, lojas de joias e relógios, tecnologia,enfim....Por essa rua desfilam carros de luxo e pessoas muito bem arrumadas. O Suiço que mora em Zurich é um pouco mais frio, ligeiramente mais formal.ia central. O clima artístico e cultural também se respira nas ruas, você verá que os músicos, dançarinos e acrobatas fazem parte desse movimento.

A Ópera é outro de seus tesouros arquitetônicos, assim como o Cabaret Voltaire, onde o grupo de Tristán Tzara rompeu com a arte de sua época e causou uma verdadeira revolução artística através do dadaísmo.


Chocolate , Comida e Compras


Os suíços são considerados "os reis do chocolate ", uma verdadeira arte culinária. Cailler inventou uma técnica, em 1819, para fazer chocolate sólido, desde então os suíços são reconhecidos mundialmente como os grandes mestres do chocolate.

Prove tipos diferentes, todos são deliciosos! Sim, Zurique cheira a chocolate quente delicioso às vezes.

Os produtos mais exclusivos e caros são vendidos na Avenida Bahnhoftrasse

Nessa rua estão as principais lojas de grife, lojas de joias e relógios, tecnologia, enfim....Por essa rua desfilam carros de luxo e pessoas muito bem arrumadas. O suiço que mora em Zurich é um pouco mais frio, ligeiramente mais formal.

A limpeza da cidade impressiona, não se encontra nada jogado no chão, mesmo em ruas com mais fluxo de turistas, uma maravilha !

Praticamente todos os restaurantes são muito bons, existem opções mais econômicas e claro, as mais caras, principalmente por pagarmos em Franco Suíço, mas alguns lugares eu realmente recomendo como o Cantinetta Antinori (@cantinettaantinori), com um cardápio italiano delicioso e uma carta de vinhos muito boa.














Depois, comer chocolate ou tomar um chocolate quente no Sprungli, uma delicia.





Sprungli






Fui em um restaurante pouco conhecido dos turistas, com um cardápio muito variado e exclusivo, um tanto caro, mas vale a pena, o Kronenhalle (Ramistrasse 4) .É conveniente reservar.


O Hiltl é um restaurante vegetariano muito conhecido, dizem que é o mais antigo do mundo. Conta a historia que Ambrosius Hiltl estava com artrite e seu médico receitou uma dieta sem carne. Daí começou a fazer opções mais vegetarianas e hoje suas receitas são copiadas no mundo inteiro.



Quanto às compras, na Bamhofstrasse você verá as lojas mais refinadas, de grife, porém Zurich tem muitas lojas de departamento legais também.



Para mim também uma delicia é entrar nas Apotheques, ou farmácias, com seus milhares de produtos das mais variadas marcas. Vale a pena entrar, nem que você compre cotonetes., só para conhecer.

Como eu disse, ficamos dois dias, então passeamos todo o tempo. Nosso segundo destino nos esperava.


Lugano

Pegamos um trem e rapidinho estávamos em Lugano.

Já pensou em uma cidade organizada como a Suíça ,mas descontraída como os italianos? Essa é Lugano.

Que delicia e que pessoas mais hospitaleiras?

Escolhemos um Hotel bem localizado, sem luxos, mas com um café da manhã muito gostoso e os quartos grandes, o City Hotel Lugano. Caminhávamos ao centro de Lugano, o que era muito conveniente, pois assim íamos conhecendo a cidade.

Também ficamos somente dois dias, que foram muito divertidos e pudemos matar um pouco a saudade das massas, pães, vinhos como na Itália.

Em Lugano existe um Cassino, confesso que fiquei um pouco decepcionada, mas se você for muito atraída por Cassinos, vale a tentativa de jogar um pouco.

Bem na frente do Cassino há um parque beirando o Lago , uma maravilha de ser vista. Vale a pena ir caminhando e tirando fotos, os jardins são lindos ,bem como toda a vista. Pelo caminho você pode ir saboreando os deliciosos sorvetes, bem italianos. Você vai achar que está na Itália, não na Suíça.


Montreaux



Mais um trem e chegamos em Montreaux, cidade muito turística, capital do famoso Festival de Montreaux, onde reúnem-se bandas, cantores e atrai pessoas de toda a Europa.

Ficamos no Hotel Eden Palace au Lac (@edenpalaceaulac), super tradicional e na Beira do Lago Genebra, com uma vista linda e um caminho que beira o lago lindíssimo, cheio de flores das mais variadas cores.















Estátua de Freddie Mercury




Fomos visitar o Castelo de Chillon , construído no Sec. XIII, à beira do lago Genebra ,no sopé de uma colina, sendo atração, portanto, em dobro: uma fortaleza à beira do lago de um lado e uma residência real, do outro. No princípio, a ilha rochosa entre o lago de Genebra e as imponentes montanhas era habitada. Posteriormente, e durante séculos, foi nesse local que se controlou o tráfego marítimo no Lago de Genebra e a importante rota terrestre para o Passo de São Bernardo. Do séc. XII ao XVI, Chillon pertenceu aos Condes de Saboia. Mais tarde, o castelo foi conquistado pelos berneses e, em seguida, pelos vaudeses.








Em Montreaux, ganhamos também do Hotel o cartão que dá acesso a todos os transportes públicos gratuitamente, então usamos alguns ônibus que iam de uma parte à outra da cidade, muito tranquilo. Montreux é facilmente acessado de barco, ônibus ou a pé. Ao longo do Lago de Genebra, poderá chegar igualmente a Vevey e à estátua de Charlie Chaplin que aqui residiu e faleceu.

Aliás fomos ao Museu de Charles Chaplin, muito bom e fica-se conhecendo toda sua trajetória, vale muito a pena ir.







,

Mas nossa viagem não acabou por aqui não......me aguardem que logo logo estaremos com mais algumas cidades percorridas !!!!














3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo